Histórias da Endurance – Protótipo HEVE

Histórias da Endurance – Protótipo HEVE

As provas de Endurance são as mais tradicionais do Automobilismo mundial, sendo as primeiras realizadas no início do século passado, em trajetos entre cidades européias. Dentre as várias categorias do esporte motorizado, a Endurance é uma das que mais exigem criatividade no desenvolvimento dos seus carros, por terem regulamentos com poucas restrições, provas muito longas, além de contarem com a participação dos protótipos, muitas vezes construídos artesanalmente.

Um dos carros que fizeram história no Brasil, na década de 70, foi o protótipo “Heve”, construído pelo preparador Antonio Ferreirinha e seu irmão Herculano. Ferreirinha continua preparando carros para Endurance até hoje e o Heve está guardado em sua oficina.

O Heve seguia a tendência aerodinâmica dos protótipos europeus da época, como o Porsche 908-02 e o Ford GT40, adaptada por Herculano. Antonio Ferreirinha era responsável pela parte mecânica.

O resultado foi muito positivo, obtendo diversas vitórias nas provas que disputou. Foram três títulos brasileiros na extinta categoria Divisão 4, todos eles com o piloto Mauricio Chulam no comando do carro. Hoje, totalmente restaurado, o Heve é uma relíquia do automobilismo nacional.

No começo da década de 60, ainda no circuito antigo do Autódromo José Carlos Pace, Ferreirinha já atuava no esporte como mecânico e participou de edições dos 500 km e das Mil milhas Brasileiras. “Fiz muitas provas de Endurance e construí alguns protótipos com meu irmão, foi muito bom”, diz ele ao se lembrar do tempo em que começou a preparar carros de corrida.

Com dezenas de corridas no currículo, tantas que ele mesmo nem sabe ao certo o número exato, vêm a certeza de que muita experiência foi adquirida e que a escolha pela carreira foi acertada. Mesmo com tantas participações, o gosto pela categoria não deixa de existir e ele continua a preparar carros em sua oficina localizada na região de Interlagos.

No seu “atelier” de trabalho, conta com um grande acervo de fotos que retratam momentos vividos por ele, sendo algumas dessas imagens registradas ao lado de grandes nomes do automobilismo nacional, como o piloto de Fórmula 1 Nélson Piquet. Além disso, na oficina estão guardados alguns de seus carros de competição.

Ferreirinha sempre gostou muito do que faz, trabalhando com muita dedicação e, ao longo do tempo, foi aperfeiçoando seus conhecimentos e técnicas de preparação de carros de corrida. Para ele essa é a grande diferença da categoria em que atua. “Aqui na Endurance você é obrigado a construir, a criar. Essa é a grande vantagem, isso ensina tudo. Para nós no Brasil, sempre vai ser um artesanato, um trabalho de escola onde aprendemos tudo”, diz ele.

Falando sobre o automobilismo atual, Ferreirinha lembra que a questão “segurança” deve ser sempre levada com responsabilidade por todos que organizam e participam da categoria Endurance. Por exemplo, a especificação do material usado nos carros, que devem ter o peso mínimo bem calculado, evitando o uso de material fino e com risco de quebra. Outro ponto importante levantado por ele é a necessidade de desenvolvimento do Kart nacional, categoria que é responsável pela formação dos maiores campeões do esporte no país. Nomes como Nelson Piquet, Emerson Fittipaldi e Ayrton Senna foram formados no Kart, que é a porta de entrada para quem quer chegar à Fórmula 1 ou Indy.

Divulgação – FASP